fbpx
Comentários
    Compartilhar no facebook
    Compartilhar no linkedin

    O gestor organizacional contemporâneo

    O mundo contemporâneo, transformado pelo advento tecnológico da internet, sobretudo marcado pela era da informação, trouxe aos gestores novos desafios. Algumas são as características necessárias para continuar realizando uma gestão eficiente, que esteja de acordo com os objetivos estratégicos da organização. Dentre estas características, podem-se citar: conhecimento, conceituação, flexibilidade, sensibilidade, julgamento e reflexão (CHIAVENATO, 2014).

    Se a informação é poder, deter o conhecimento dos processos internos de produção, gestão e diretrizes que mantenham a empresa competitiva é um superpoder. Não por acaso, a gestão da informação nas grandes empresas deixou de ser apenas uma forma secundária de organização dos conteúdos produtivos pelos funcionários e passou a ser um cargo necessário a qualquer empresa que produza conhecimento – externo e interno (BOOG e BOOG, 2008).

    Atrelado a esta necessidade de conhecimento está a flexibilidade; que dá ao gestor possibilidade de mais do que apenas analisar as mudanças que acontecem no ambiente organizacional, mas, também, de conseguir se adaptar às demandas que lhes são impostas e não estão nos procedimentos e regras da empresa. Isto porque ser flexível pode representar um bom atendimento, desde que se tenha o conhecimento aprofundado sobre os processos, infraestrutura e objetivos da empresa (ALMEIDA, 2007).

    Contudo, de nada adiantam estas características se o gestor não consegue ter reflexão sobre onde e como aplicar o conhecimento e quando deve ser flexível ou apenas aplicar as normas organizacionais que lhes são apresentadas. Um líder que aplica o conhecimento com muita flexibilidade pode se desviar dos objetivos organizacionais; ao passo que um gestor reflexivo e que não detém o conhecimento é ineficaz, pois não age diretamente na necessidade do cliente (interno e externo) (GIL, 2006).


    Referências

    ALMEIDA, M. A. D. Percepção de gestores e técnicos sobre o processo de gestão por competência em organizações do Brasil. Dissertação (Dissertação em Adminsitração) – Fundação Getúlio Vargas. Brasília, p. 140. 2007.

    BOOG, G.; BOOG, M. Manual de treinamento e desenvolvimento: gestão e estratégias. São Paulo: Prentice Hall, 2008.

    CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas. 4. ed. Barueri: Manole, 2014.

    GIL, A. C. Gestão de pessoas: enfoque nos papeis profisionais. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

    Gostou do texto? Então, conte com a equipe do Meu Orientador para lhe ajudar com tudo, desde a escolha do seu tema até a sua apresentação e ajustes pós-banca. Nossa equipe ajuda centenas de alunos todos os anos, seja um deles você também. Se precisar de mais dicas, dê uma passada no nosso blog, tenho certeza que você vai gostar bastante!

    Um grande abraço da Equipe Meu Orientador.

    Algumas postagens deste blog são fragmentos extraídos de Pesquisas Acadêmicas Personalizadas desenvolvidas pela Meu Orientador de acordo com os seus Termos e Condições. Direitos autorais integrais transmitidos, reprodução autorizada, conforme Lei nº 9.610 (Lei dos Direitos Autorais)

    newsletter

    Top Posts

    Ajuda com o trabalho da Facul?

    Fale agora com um de

    nossos especialistas e tenha

    a sua Pesquisa Acadêmica

    inédita e livre de plágios!

    Mais Artigos

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *